Regimento Interno da

Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni do

Centro de Estudos da Cultura Popular

 

Das Disposições Iniciais e Finalidades

Art. 1º O presente documento tem por finalidade estabelecer a missão, valores, visão, normas e rotinas para o funcionamento da Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni do Centro de Estudos de Cultura Popular – CECP.

Art. 2º Estarão sujeitos a este regulamento todos os usuários da Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni.

Art. 3º A Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni, além de atender às demandas de serviços de biblioteconomia e informação para o próprio Centro de Estudos da Cultura Popular, também presta serviços ao Museu do Folclore de São José dos Campos e à comunidade em geral.

Art. 4º A Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni é a depositária de todo o material bibliográfico e outros meios de informação, com o objetivo de fornecer subsídios às ações de salvaguarda, pesquisa e registro, divulgação, formação e informação do Centro de Estudos da Cultura Popular.

Art. 5º A Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni tem como missão: Contribuir para o fortalecimento da identidade cultural e da formação da cidadania, provendo de informações relevantes que levem a valorização do folclore e do patrimônio cultural imaterial brasileiro, num ambiente harmonioso e com profissionais capacitados.

Art. 6º A Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni tem como valor: Com foco na sua missão, a biblioteca se orientará nos princípios da ética, da responsabilidade social, da democratização do acesso à cultura e à informação, do compromisso com a salvaguarda do folclore e com os bens culturais de natureza material e imaterial, do trabalho em equipe, valorizando a criatividade e a pro-atividade.

Art. 7º A Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni tem como visão: Tornar-se um referencial na região e na área de especialização em folclore e cultura popular, com a disponibilização de um acervo que atenda às necessidades do público especializado e local interessados, gerando transformações que sejam assimiladas pela comunidade e contribuindo para o desenvolvimento da cidadania.

Art. 8º A Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni tem como objetivos:

I – Apoiar as atividades do Centro de Estudos da Cultura Popular;

II – Normatizar as entradas de dados;

III – Atualizar constantemente as fontes de informação;

IV – Guardar e manter em boas condições o acervo e o patrimônio institucional;

Art. 9º Serão considerados usuários da Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni: funcionários e pesquisadores do Centro de Estudos da Cultura Popular e Museu do Folclore e toda pessoa física da comunidade em geral que estiver cadastrada no sistema PHL (Personal Home Library) da biblioteca. Este cadastro se dará mediante a apresentação de um documento com foto (RG, Carteira Nacional de Habilitação) e um comprovante de residência, feitos no balcão de atendimento da biblioteca ou online.

Art. 10. Para utilização do espaço da biblioteca é necessário que o usuário e/ou visitante se identifique por meio de um documento com foto (RG ou Carteira Nacional de Habilitação), na recepção da Biblioteca.

 

Do Funcionamento

Art. 11. A Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni prestará atendimento nos seguintes dias e horários:

De segunda a sexta-feira das 09:00 às 17:00h.

Obs.: Qualquer mudança devido a feriados ou outros motivos, serão informados por meio da fixação de aviso na fachada da biblioteca e divulgados nos meios virtuais oficiais da biblioteca e do Centro de Estudos da Cultura Popular.

 

Dos Serviços

Art. 12. A Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni oferece os seguintes serviços:

I – Consulta local;

II – Empréstimo domiciliar;

III – Empréstimos entre bibliotecas;

IV – Acesso à base de dados e internet;

V- Renovação e reserva online;

VI – Orientação à normatização de pesquisas e trabalhos acadêmicos;

VII – Gestão de projetos de divulgação do acervo (Ouvindo por Acaso e Divulgação do Acervo) e de apoio às ações educativas do Museu do Folclore e de pesquisas do Centro de Estudos da Cultura Popular.

 

Do Acervo

Art. 13. O acervo da Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni é composto de obras específicas da área de folclore e cultura popular como também de obras de áreas afins como história e geografia, por exemplo. Seu acervo é composto por livros, folhetos, periódicos, CD’s, DVD’s, discos de vinil, fitas cassetes, hemeroteca (recortes de jornais e revistas entre outros materiais), fotografias e outros materiais de produção do próprio Centro de Estudos da Cultura Popular.

Art. 14. O acesso às estantes é livre – Acervo aberto. Ou seja, os usuários têm acesso direto às estantes para consultar os materiais.

Art. 15. Para fins de estatística e controle na avaliação das obras e maior uso, os usuários deverão deixar o material consultado sobre a mesa, ou seja, os livros consultados não deverão ser recolocados nas estantes.

 

Da Política de Desenvolvimento de Coleção

Art. 16. A política de desenvolvimento da coleção tem como objetivo auxiliar nos critérios de aquisição e seleção de materiais em todas as suas formas: compra, doação e permuta, assim como o descarte e remanejamento dos materiais do acervo.

Art. 17. Para o desenvolvimento de uma coleção, a Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni tomará por base as necessidades da demanda não atendida no setor de circulação, aumento de reserva de materiais e da sugestão dos usuários e do próprio Centro de Estudos da Cultura Popular (avaliados pela bibliotecária e gestora de conteúdos), dentro da disponibilidade orçamentária.

 

Da Consulta Local

Art. 18. Será permitida a consulta local aos usuários cadastrados e ao público externo, sempre mediante identificação do usuário, conforme art. 10º.

 

Do Empréstimo Domiciliar, Devoluções e Renovações

Art. 19. Será exigido um documento com foto do usuário para se efetivar o empréstimo domiciliar, conforme art. 10º.

Art. 20. Os usuários pesquisadores e funcionários do Centro de Estudos da Cultura Popular e do Museu do Folclore poderão retirar até 5 materiais, pelo período de 20 dias e os demais usuários em geral, (estudantes, professores etc.) poderão retirar até 3 documentos, pelo período de 15 dias.

Art. 21. Os empréstimos entre bibliotecas serão feitos mediante ao cadastro prévio da biblioteca interessada, por um representante oficial da mesma, o prazo de empréstimo será de 3 materiais pelo período de 15 dias e a devolução também feita por um representante oficial no balcão de atendimento.

Art. 22. As obras de referência – dicionários, enciclopédias, hemeroteca, fotografias e outras obras consideradas especiais – não serão emprestadas.

Art. 23. Os materiais retirados a título de empréstimo domiciliar deverão ser devolvidos no balcão de atendimento da biblioteca na data estipulada.

Art. 24. A Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni poderá, a qualquer hora, solicitar a devolução das obras para realizar inventário no sentido de resguardar seu patrimônio.

Art. 25. Serão cobradas multas por material e por dia de atraso dos usuários em geral.

Art. 26. O valor da multa será afixado no mural de avisos da biblioteca e poderão ser aceitos livros novos e usados como pagamento de multa. Esses livros deverão ser previamente informados à bibliotecária que avaliará os títulos e condições dos livros usados.

Art. 27. A renovação do empréstimo poderá ser solicitada e efetuada de várias formas: no balcão de atendimento, pelo sistema PHL online, por telefone ou por e-mail da biblioteca, mediante a informação do registro do usuário.

Art. 28. No caso de rescisão de contratos de funcionários e colaboradores do Centro de Estudos da Cultura Popular, estes deverão devolver todos os materiais que estiverem emprestados em seus nomes e saldar todas as pendências com a biblioteca.

Parágrafo único – Não serão considerados como devolvidos os materiais deixados nas mesas, balcões, estantes ou em outros lugares, quando se tratar de materiais emprestados.

 

Das Reservas

Art. 29. O usuário poderá pedir reserva para o material que estiver emprestado, desde que não exista outro exemplar disponível na biblioteca. Este procedimento poderá ser feito de várias formas: pessoalmente no balcão de atendimento da biblioteca, pelo sistema PHL, por telefone, ou e-mail, informando o registro de usuário.

Art. 30. As reservas serão registradas e atendidas na ordem cronológica em que forem registradas. O controle da disponibilidade do material fica a encargo do usuário.

Art. 31. Ao retornar, o material reservado ficará à disposição do usuário por 48 horas no balcão de atendimento; caso não haja procura, passará ao usuário seguinte, quando houver, ou retornará à estante.

 

Do Acesso à Base de Dados e Internet

Art. 32. Os usuários poderão consultar a base de dados PHL – Personal Library Home – localmente ou online, assim como a internet, respeitando o uso responsável da navegação, como o uso de fones de ouvido, por exemplo, e fazendo o bom uso e conservação dos terminais de acesso (os computadores no caso de acesso local).

 

Do Atendimento Personalizado

Art. 33. Consiste no atendimento individual ao usuário feito pela bibliotecária para auxiliar suas buscas na base de dados PHL ou em outras bases de pesquisa e busca, ou até mesmo para auxílio de normatização de trabalhos acadêmicos por exemplo. O usuário deverá agendar este serviço.

 

Do Treinamento ao Usuário

Art. 34. Serviço que a biblioteca oferece para que os usuários e a comunidade em geral, interessada, possam utilizar com maior facilidade a base de dados PHL, sites de buscas em geral e busca de material na estante.

Parágrafo único – Este serviço será oferecido pelos funcionários da biblioteca sempre na ocasião de registro de um novo usuário e sempre que houver necessidade aos que já são usuários.

 

Do Guarda-Volumes

Art. 35. O guarda-volumes será utilizado obrigatoriamente pelos usuários, sempre que este estiver carregando bolsas, mochilas, sacolas etc., e respeitando os seguintes termos:

I – O uso dos escaninhos se dará a partir da identificação do usuário, isto é, quando apresentados os devidos documentos conforme o art. 10º. Os escaninhos só poderão ser utilizados no período em que o usuário estiver nas dependências da biblioteca;

II – Não deverão ser deixados objetos de valor no guarda-volumes, pois a biblioteca não se responsabilizará pelos mesmos.

 

Do Local de Leitura, Estudo e Reuniões

 Art. 36. A biblioteca disponibiliza duas mesas para leitura, estudo e reunião em seu acervo e o usuário que delas se utilizar obriga-se a:

I – Manter a ordem;

II – Fazer silêncio e falar em tom de voz de maneira a não perturbar outros colegas que estejam estudando no local;

III – Não entrar com alimentos, bebidas ou animais no recinto da biblioteca;

IV – Ser discreto ao atender telefones celulares e, ao assistir vídeos ou ouvir músicas, utilizar-se de fones de ouvido;

Parágrafo único – As reuniões internas da equipe de trabalho do Museu do Folclore e Centro de Estudos da Cultura Popular poderão ser feitas no espaço da biblioteca, desde que não haja nenhum usuário em estudo. Se mesmo assim, não houver outro local para reunião e com usuário em estudo, pedir o consentimento do mesmo para realizar a reunião.

 

Dos Deveres dos Usuários

 Art. 37. Os usuários da Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni obrigam-se a:

I – Devolver o material emprestado na data prevista;

II – Os usuários-funcionários que se desvincularem da instituição, deverão devolver todo o material emprestado até a data da formalização de seu desligamento;

III – Pagar multas no caso de atraso da devolução de materiais;

IV – Repor o mesmo título em caso de extravio (perda, roubo ou assalto) ou dano ao material;

V – Identificar-se, a pedido de funcionários;

VI – Não ingressar no espaço da biblioteca com trajes inadequados como trajes de banho ou sem camisa;

VII – Manter o silêncio, respeitando os funcionários e outros usuários;

VIII – Guardar pastas, sacolas, bolsas etc. no guarda-volumes do balcão de atendimento;

IX – Não deverá usar a biblioteca para outros fins a não ser para estudos, pesquisas, reuniões e atendimentos relacionados ao Museu do Folclore e Centro de Estudos da Cultura Popular (quando necessário);

X – Não fumar dentro do recinto;

XI – Não entrar com alimentos, bebidas ou animais;

XII – Deixar os materiais consultados sobre a mesa após a consulta, isto é, não recolocar os materiais consultados nas estantes;

XIII – Mostrar na saída da biblioteca todo o material que levar consigo, caso seja solicitado;

XIV – Os usuários que emprestarem materiais em nome de terceiros, ficarão responsáveis pelo material retirado, portanto devendo saldar as dívidas contraídas em caso de não devolução na data correta ou de extravios.

Art. 38. Reserva-se a Biblioteca, o direito de vedar o ingresso ou exigir a retiradas de suas dependências, de usuário que não respeite as regras ora estabelecidas e/ou que não cumpra os deveres nela estabelecidos, sem prejuízo de eventual responsabilização por danos eventualmente causados ao acervo, dependências ou funcionários da Biblioteca.

 

Das Disposições Finais e Gerais

Art. 39º Os casos não previstos neste regimento serão resolvidos pela bibliotecária responsável.

 

Equipe da Biblioteca Maria Amália Correa Giffoni

 

Bibliotecária Responsável: Cíntia Cássia Soares (CBR 8848 – 8º Região)

Estagiário: Sâmi Cristian Baleeiro de Lima