Ouvindo por Acaso

O dia de São Cosme e São Damião é comemorado em 26 de setembro. Eles foram dois irmãos gêmeos que vieram do Oriente (provavelmente árabes) e eram médicos. Tornados cristãos, expulsavam as enfermidades das pessoas sem cobrar nada pelas curas. A eles é atribuído o milagre da transplantação de uma perna. São considerados como protetores dos médicos.

São Cosme e Damião

Geralmente são representados iconograficamente pelos dois santos em pé, em uma das mãos, a palma do martírio e, na outra, o bastão. Ambos de bonés vermelhos e roupas azuis, cobertas com manto curto e verde. E entre eles, uma mesinha ou uma pequena estante de livros, ou ainda com livros nas mãos.

Os protetores dos gêmeos são identificados como Begue (Alagoas), Ibêji, Bêji, Beijinho e Oxim-Marê (Pernambuco), Ibêji, Bêji, Alabá e Dôum (Bahia), Dois-dois (Rio de Janeiro), Beijes (Porto Alegre) entre outros nomes. No candomblé banto, como Vúnji.

Na umbanda, os êres descem na Festa de São Cosme e Damião, marcada pela distribuição de doces nos terreiros brasileiros, advindo daí a tradição de se distribuir as guloseimas para as crianças nesse dia. Tradição essa adotada pelos católicos que a replicam. A tradição advém do fato de que os santos ofereciam doces para amenizar a tristeza das crianças e enfermos.

Diversas são as manifestações de devoção em vários lugares: são invocados para a cura de hemorragias e para ajuda na hora do parto; coloca-se doces ou rapaduras aos pés dos santos, distribui-se balas e doces para as crianças em muitas festas populares.

Referência:

Dicionário da Religiosidade PopularCultura e Religião no Brasil: de autoria de Francisco van der Poel (Frei Chico). Editora Nossa Cultura (2013).

CD em execução:

Cosme e Damião: de autoria de JB Carvalho.

Foto: https://comshalom.org/

Voltar ao topo