Sem categoria

O sanfoneiro Kardec Gonzaga é uma das atrações do programa Museu Vivo deste domingo (15), realizado pelo Museu do Folclore de São José dos Campos, das 14h às 17h. A atividade é aberta ao público e acontece na área externa do museu. O encontro também contará com a presença de outros dois representantes da cultura popular regional: Pedro Galvão de Moura, no artesanato, e Marlene Azevedo dos Santos, na culinária.

 

“O meu sonho de criança era tocar sanfona para ser artista”, conta o sanfoneiro Kardec Gonzaga, bastante conhecido na cidade e região, por quem gosta de uma boa música caipira. Kardec é joseense e aprendeu a tocar o instrumento por conta do seu pai, que também era sanfoneiro. “Meu pai não gostava que os filhos ficassem olhando ele tocar, pois tinha medo que aprendêssemos do jeito errado. Mas não adiantou, pois ele era nossa inspiração”, ressalta.

 

Foto: Fábio Bueno

Pedro Galvão e algumas peças do artesanato que faz

Aos 77 anos de idade, Pedro Galvão de Moura, natural de São Luiz do Paraitinga, no Vale do Paraíba, mas morando em São José há mais de 60 anos, continua sendo um misto de inventor e artesão, como ele mesmo se define. “Eu só passei a gostar e a praticar artesanato de miniaturas feitas de lata, porque minha esposa me fez um desafio. Ela me deu uma panelinha de pressão e perguntou se eu conseguiria fazer melhor. Eu fiz e não parei mais”, conta Pedro.

 

Hoje, além da lata, Pedro também utiliza outros materiais recicláveis para fazer aviõezinhos com lâmpadas de emergência, cata-ventos, maquetes de casa, pontos de ônibus e outros tantos brinquedos e objetos. “Nada limita minha criatividade e tudo que faço me traz satisfação”, confessa. No Museu Vivo ele vai compartilhar essa sabedoria.

 

Foto: Fábio Bueno

Marlene vai compartilhar seu saber na culinária

A também joseense Marlene Azevedo dos Santos, 40 anos, trabalha na produção de doces com seu marido Adauto Lourentino. Neste domingo, ela vai compartilhar seu saber no preparo de uma cocada. Ela e o marido sabem fazer cocada tradicional e também de cenoura e beterraba. “Nós fazemos os doces para vender na rua, pois é com o dinheiro que ganhamos que sustentamos a casa e os nossos filhos”, diz ela.

 

O programa Museu Vivo acontece aos domingos à tarde e é uma das muitas atividades realizadas pelo Museu do Folclore, que foi criado pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo em 1987. Atualmente, o espaço é gerido pelo Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), organização da sociedade civil sem fins lucrativos.

 

Museu do Folclore de SJC

Av. Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade – Santana

(12) 3924-7318

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *