Sem categoria

O Museu do Folclore de São José dos Campos retoma, neste domingo (4), o programa Museu Vivo, que reúne representantes da cultura popular regional numa demonstração de saberes e fazeres, nas áreas do artesanato, da culinária e da música. A atividade acontece na área externa do museu, das 14h às 17h, e é aberta ao público, que pode interagir com os ‘sabedores’ sobre o conhecimento de cada um.

 

Foi com sua mãe que a pernambucana Rejane Aleixo de Melo, nascida na Ilha de Itamaracá, aprendeu a cozinhar arroz de leite com carne seca e bolo de coco. Ela também gostava de observar a mãe fazendo artesanato e criar suas próprias peças. Hoje, com 46 anos, Rejane faz um artesanato muito singular, utilizando lacre de latinhas de metal e criando diferentes peças.

 

Na culinária, a sabedoria popular ficará por conta de Antonio Francisco Pereira, o Chicão, de 78 anos, que participará do ‘Museu Vivo’ para fazer paçoca, especiaria que aprendeu a fazer com seus pais, quando vivia em Natércia, no sul de Minas Gerais. Chicão ajudava o pai nas tarefas diárias e uma delas era o trabalho no pilão que, além de paçoca, também servia para socar arroz, fazer canjica, quebrar milho e fazer fubá.

 

O encontro será animado pelo som da viola caipira de Gevaldo Correia dos Santos, sergipano de 60 anos amante da música sertaneja raiz e música caipira. Gevaldo conheceu e desenvolveu o gosto pela música caipira no Paraná, onde vivia com a numerosa família de 14 filhos. Seu pai era agricultor e também tocava cavaquinho e violão, junto com os filhos e amigos. Foi com ele que Gevaldo aprendeu a tocar viola.

 

O Museu do Folclore é gerido pelo Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), organização da sociedade civil sem fins lucrativos, que mantém, desde setembro, termo de colaboração com a Fundação Cultural Cassiano Ricardo.

 

Museu do Folclore de SJC

Av. Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade – Santana

(12) 3924-7318

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *