Sem categoria

O Museu do Folclore de São José dos Campos, vinculado à Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR), completa em dezembro trinta anos de criação e vinte anos de instalação no Parque da Cidade Roberto Burle Marx, no bairro de Santana, região norte da cidade. Em seu prédio principal fica a exposição de longa duração, ‘Patrimônio Imaterial: Folclore e Identidade Regional’, montada sob curadoria do museólogo e antropólogo Raul Lody.

A gestão do museu é realizada pelo Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), associação social sem fins lucrativos que mantém convênio com a Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR), entidade ligada à Prefeitura Municipal. A atual presidente do CECP é a folclorista Angela Savastano, que fez parte da Comissão de Folclore da FCCR e uma das responsáveis pela criação do museu.

“Acredito que em todo este tempo de existência do Museu do Folclore conseguimos passar à comunidade, principalmente aos estudantes, a importância da vivência e do estudo da cultura e da sabedoria popular, muito presente no cotidiano das pessoas mesmo nos dias de hoje, quando praticamente tudo gira em torno da tecnologia”, enfatiza Angela Savastano.

Mediadora acompanha visita de alunos à exposição do museu

Exposição e projetos

A exposição é composta por diferentes objetos, imagens, fotos e vídeos relacionados à cultura popular da região e do Brasil, distribuídos em oito ambientes identificados como Sala São José dos Campos, Sala das Tecnologias, Sala Religiosidade, Sala Festas, Sala Santos de Fé, Sala Identidades, Sala Brasil e Sala das Panelas. Em prédio anexo funcionam uma biblioteca especializada em cultura popular e uma brinquedoteca; além do setor administrativo.

Além dos espaços de visitação, o Museu do Folclore também desenvolve os projetos ‘Museu Vivo’ (dois domingos por mês), ‘Saber Popular: Um Sopro da Natureza’ (durante a semana), ‘Cadernos de Folclore’ (publicações sobre cultura popular), ‘Dialogando com o Folclore’ (palestras durante o ano), ‘Ouvindo por acaso’ (divulgação diária de músicas folclóricas); além de atividades do Mês do Folclore (agosto e setembro) e Ciclo de Natal (novembro a janeiro).

Visitas espontâneas e agendadas

As visitas à exposição podem ser feitas de terça a sexta e feriados, das 9h às 17h, e aos sábados e domingos, das 14h às 17h. As visitas em grupo, com acompanhamento de mediadores, podem ser feitas durante a semana e devem ser agendadas antecipadamente pelo telefone 3928-7354.

Museu do Folclore: Avenida Olivo Gomes, 100, Parque da Cidade Roberto Burle Marx, Santana. Informações: 3924-7318 ou pelo site www.museudofolclore.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *