Notícias

Tina Lemos mostra um dos seus muitos trabalhos

Ela usa o barro (ou argila) para materializar, de maneira única, seu jeito de estar e sentir o mundo. Seu processo criativo é uma somatória de imaginação, costumes, tradições e valores. O resultado é a sua identidade cultural, cravada na figura modelada. Este é o perfil da figureira, artesã e ceramista Angela Cristina Lemos, joseense que cresceu na região norte da cidade.

 

Tina Lemos, como é mais conhecida, é a convidada deste domingo (29) para mais uma edição do Museu Vivo, que acontece de maneira virtual, a partir das 16h, pelo Facebook do Museu do Folclore de São José dos Campos. O encontro contará, ainda, com a presença da pesquisadora Renata Sparapan, responsável pelo novo projeto do museu, o Baleio Galeria, do qual Tina também faz parte.

 

“Aprender a fazer figuras não é somente manusear o barro, mas saber os seus significados e símbolos, interpretar e compreender a importância da figura no contexto artístico, histórico e cultural da representação expressa pelo artista popular”, enfatiza Tiane Tessaroto, pesquisadora e mediadora do Museu Vivo virtual.

 

Tina Lemos também é graduada em Educação Artística e Artes Visuais pela Faculdade Claretiano, além de ter feito especialização em Cultura Popular Brasileira pela Univap (Universidade do Vale do Paraíba).

 

Projeto e gestão

 

O Museu Vivo é um dos muitos projetos realizados pelo Museu do Folclore durante o ano, em dois domingos por mês, sempre no período da tarde. Em razão da pandemia, desde março do ano passado as edições acontecem de forma virtual.

 

O Museu do Folclore é um espaço da FCCR (Fundação Cultural Cassiano Ricardo), gerido pelo CECP (Centro de Estudos da Cultura Popular), organização da sociedade civil sem fins lucrativos, que atua na área da cultura popular.

 

Museu do Folclore de SJC

Av. Olivo Gomes, 100 – Santana (Parque da Cidade)

(12) 3924-7318

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *